04/02/2022 09:35:39

Melhores Livros de Cecília Meireles

Selecionamos os 10 melhores livros de Cecília Meireles com venda on-line.

Melhores Livros de Cecília Meireles Cecília Benevides de Carvalho Meireles foi uma escritora e educadora brasileira, conhecida principalmente como poetisa. Ela é um nome canônico do Modernismo Brasileiro, uma das grandes poetisas da língua portuguesa, e é amplamente considerada a melhor poetisa do Brasil, embora tenha combatido a palavra poetisa por causa da discriminação de gênero. Ela viajou pelas Américas na década de 1940, visitando os Estados Unidos, México, Argentina, Uruguai e Chile. No verão de 1940, ela deu palestras na Universidade do Texas, Austin. Ela escreveu dois poemas sobre seu tempo na capital do Texas, e um longo (800 versos) poema de grande consciência social "USA 1940", que foi publicado postumamente. A jornalista suas colunas (crônicas ou crônicas) se concentraram muitas vezes na educação, mas também em suas viagens ao exterior no hemisfério ocidental, Portugal, outras partes da Europa, Israel e Índia (onde recebeu um doutorado honorário). Como poetisa, seu estilo era principalmente neo-simbolista e seus temas incluíam o tempo efêmero e a vida contemplativa. Embora não se preocupasse com a cor local, com o vernáculo nativo ou com os experimentos de sintaxe (popular), é considerada uma das poetisas mais importantes da segunda fase do Modernismo brasileiro, conhecida pelo vanguardismo nacionalista. Como professora, ela fez muito para promover reformas educacionais e defendeu a construção de bibliotecas infantis. Entre 1935 e 1938, lecionou na efêmera universidade do distrito federal do Rio.

1

Poesia Completa: Cecília Meireles

A Global Editora traz agora ao público leitor a "Poesia completa" de Cecília Meireles, em dois volumes, reunindo a totalidade da produção poética da autora. A edição traz desde seu livro de estreia, "Espectros" (1919), até o livro "Crônica trovada da cidade de San Sebastian" (1965), publicado postumamente. Os leitores têm à sua disposição a oportunidade ímpar de fruir do puro e íntegro diamante de uma artista dos versos de primeira grandeza.

Saiba mais

Poesia Completa: Cecília Meireles
2

Romanceiro da Inconfidência

Os poemas aqui reunidos – cada qual com vida própria – formam um longo e único poema, lírico e épico ao mesmo tempo em que conta a história de Tiradentes, o mártir da Inconfidência Mineira. Elaborado por meio de uma profunda pesquisa, a conspiração revolucionária de poetas é recriada com maestria pela imensa maior referência da poesia, Cecília Meireles.

Saiba mais

3

Escolha o seu sonho

Cecília Meireles é inigualável pela delicadeza e fluidez dos seus versos, pelo poder de transcender o real e nos fazer sonhar. Essa magia está presente nas 45 crônicas deste livro, nas quais a poeta aborda, em textos curtos, elementos e acontecimentos que partem do cotidiano e criam asas, luzes, cores, saltando da vida real para o universo dos sonhos.

Saiba mais

Escolha o seu sonho
4

O Menino Azul

Cecília Meireles, organizadora da primeira biblioteca infantil do país, em sua cidade natal, o Rio de Janeiro, e um dos grandes valores de nossa literatura, tem um estilo voltado para a simplicidade da forma e marcado, ao mesmo tempo, pela riqueza das imagens e símbolos. O menino quer um burrinho/ que saiba inventar/ histórias bonitas/ com pessoas e bichos/ e com barquinhos no mar. A suavidade de sua poesia encanta tanto criança como jovens e adultos. Em O Menino Azul, o imaginário infantil, tratado com leveza, é a tônica dos versos. Ilustrado por Elma, que é parecida com o Menino Azul e sempre está dentro de um livro que ilustrou ou escreveu.

Saiba mais

O Menino Azul
5

Criança meu amor

O livro Criança, meu amor… é uma coletânea de textos dirigidos, sobretudo, às crianças. Nesta obra, publicada pela primeira vez em 1924, Cecília Meireles, proporciona aos leitores a alquimia do imaginário, do humor e da fantasia. Bonequinha, bonequinha/ Dorme, dorme sossegada/ Dorme, dorme filha minha! Bonequinha muito amada,/ Oxalá que embalem crianças/Como tu és embalada!… De forma singela e em doses precisas, a autora revaloriza a noção de brinquedo, discorre sobre bondade, respeito e amor ao trabalho, à natureza e ao próximo. Por ter sido professora, Cecília emprega com sabedoria sua sensibilidade pedagógica a ponto de permitir que sua obra seja sempre atual, independentemente da época. Por essa razão, Criança, meu amor… vem encantando várias gerações de leitores.

Saiba mais

Criança meu amor
6

A Festa das Letras

No final dos anos 1930, o governo de Getúlio Vargas concentrou suas forças para aperfeiçoar a qualidade da nutrição do povo brasileiro. Na época, pensando em um livro que aproximasse as crianças do universo de frutas, legumes, verduras e demais alimentos do cotidiano, e, além disso, lhes ensinasse noções básicas de higiene alimentar. A Livraria do Globo convidou dois autores de relevo: Cecília Meireles e Josué de Castro. Poeta, cronista e educadora, Cecília tinha um dom raro para conceber textos envolventes para crianças e jovens, capacidade que mais tarde se comprovaria em seu consagrado Ou isto ou aquilo (1946). Josué de Castro, por sua vez, geógrafo e médico, uma das maiores autoridades brasileiras em alimentação, destacou-se com seu Geopolítica da fome (1951). Com poesias de A a Z, os autores não economizaram seus conhecimentos para o preparo desta obra. Aqui, eles temperam com muita graça e sabor as palavras, receitando como se pode alimentar bem o corpo e a alma.

Saiba mais

A Festa das Letras
7

Mar absoluto e outros poemas

Os poemas deste livro registram a memória de Cecília sobre seus antepassados portugueses, o infinito das palavras, a solidão frente à fugacidade de tudo, a experiência intransferível da morte e a melancolia de amar. “Foi desde sempre o mar”, principia a poeta, apresentando o mar como símbolo da impermanência humana no coração da beleza do mundo.

Saiba mais

Mar absoluto e outros poemas
8

Canção da tarde no campo

A leitura de Canção da tarde no campo representa a possibilidade de um grande encontro com o lirismo da poesia de Cecília Meireles, considerado pelos críticos como o mais elevado da literatura brasileira contemporânea. Altamente técnica, embora seus versos demonstrem uma simplicidade quase que popular e desenhem imagens sensoriais fortes e musicais. Caminho do campo verde,/ estrada depois de estrada./ Cercas de flores, palmeiras,/ serra azul, água calada./ Eu ando sozinha/ no meio do vale./ Mas a tarde é minha. Em sua 4ª edição, o obra traz um projeto gráfico colorido e criativo. Com ilustrações de Ellen Pestili, Canção da tarde no campo, renovado, vem carregado de toda a sublimidade de Cecília.

Saiba mais
Canção da tarde no campo
9

Cecília Meireles

Com sensibilidade e ilustracoes delicadas, o livro mostra ao leitor como era Cecilia quando crianca, e depois, quando mocinha. Uma garota inteligente, que gostava de musica, historias e, claro, de poemas. Nao foi por acaso que ela escreveu coisas tao bonitas!

Saiba mais
Cecília Meireles
10

Baladas para El-Rei

Terceira produção poética de Cecília Meireles a vir a público, Baladas para El-Rei, de 1925, presenteia o leitor com versos que demonstram a rara capacidade de nossa maior poeta para evocar imagens e sentimentos, capitaneada por sua intrínseca musicalidade. As ilustrações presentes no livro concebidas pelo artista plástico português Fernando Correia Dias, primeiro marido de Cecília, expandem o som e a ressonância dos poemas da autora. A apresentação desta edição é assinada pelo crítico literário Marcos Pasche, mestre e doutor em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e professor de Literatura Brasileira na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. No texto, Pasche observa que “não é seguro apontar, com pretensa certeza, quem é o Rei receptor das baladas, mas é possível ouvi-las badalando no livro que é um reino do dizer obnubilado e do subentendido”.

Saiba mais
Baladas para El-Rei

Posts relacionados


Posts mais recentes


Mais Pesquisadas


mReviews LogoREVIEWS

Mais lidas


Categorias



mReviews LogoREVIEWS